Oyá, Senhora do Entardecer 
Mitologia Vikings - Runas
Mitologia Vikings - Runas

sites premium

 

Era viking ou era dos vikings - em sueco Vikingatiden, em dinamarquês Vikingtid, em norueguês Vikingtiden, em islandês Víkingaöld - é o nome que se dá ao período de três séculos da pré-história da Escandinávia que se estende de 800 a 1050 d.C. Atualmente compreende o território de três países europeus: a Suécia, a Dinamarca e a Noruega. Igualmente conhecidos como nórdicos ou normandos, eles estabeleceram uma rica cultura que se desenvolveu graças à atividade agrícola, o artesanato e um notável comércio marítimo.

A vida voltada para os mares também estabeleceu a pirataria como outra importante atividade econômica. Em várias incursões realizadas pela Europa Continental, os vikings saquearam e conquistaram terras, principalmente na região da Bretanha, que hoje abriga do Reino Unido. Cronologicamente, a civilização viking alcançou seu auge entre os séculos VIII e XI.

O processo de invasão à Bretanha aconteceu nos fins do século VIII. No ano de 865, um poderoso exército de vikings dinamarqueses empreendeu uma guerra que resultou na conquista de grande parte das terras britânicas. Com isso, observamos a consolidação do Danelaw, um extenso território viking que englobava as regiões Centro-norte e Leste da Bretanha. Na mesma época, os vikings continuaram sua expansão em terras escocesas.

O rei era a principal autoridade política entre os vikings. Logo em seguida, os condes e chefes tribais também desfrutavam de grande prestígio e poder de mando entre a população. O poder de decisão entre os locais tinha certa presença entre os vikings. Reunidos ao ar livre, discutiam a elaboração de suas leis próprias e as punições a serem deferidas contra os criminosos. A população estava organizada em sociedades locais com carácter hierárquico, constituídas por um chefe (hövding), os seus capatazes-guerreiros (jarlar), camponeses livres (fria bönder) e escravos (trälar).

A maior parte da população escandinava era constituída por camponeses, que nunca saiam das suas terras, e se dedicavam à agricultura, à silvicultura, à caça e à pesca. As pessoas viviam em pequenos grupos familiares com várias gerações, e dedicavam-se ao cultivo do centeio, da cevada, do trigo e da aveia. Comiam pão, papas de cereais, queijo fresco e bagas. Bebiam água, leite ou cerveja fraca. Criavam porcos, cabras, gansos, cavalos e vacas. A carne desses animais era salgada ou defumada, para ser conservada para o inverno.

Um pequeno grupo dedicava-se ao fabrico de objetos e ao comércio. Os vikings eram uma pequena parcela da população que participavam em operações de guerra naval, de pirataria ou de comércio marítimo.

A organização familiar tinha claros traços patriarcais, sendo o homem o grande responsável pela defesa da família e a realização das principais atividades econômicas. Dedicada aos domínios domésticos, a mulher era responsável pela preparação dos alimentos e também auxiliava em pequenas tarefas cotidianas. A educação das crianças era delegada aos pais, sendo eles que repassavam as tradições e ofícios vikings.

As habitações dos vikings eram bastante simples. Madeira, pedras e relva seca eram os principais elementos utilizados na construção das residências. Nas famílias um pouco mais abastadas, a divisão era mais complexa composta por salas, cozinha e quartos. Habitavam casas compridas, onde tinham lugar homens, mulheres, crianças, escravos e animais. Os escravos – chamados thrall na Escandinávia – tinham uma vida dura, fazendo os trabalhos mais difíceis e comendo alimentos inferiores ou os restos das refeições.

Em razão das baixas temperaturas, os vikings tinham a expressa necessidade de uma vestimenta que pudesse suportar as baixas temperaturas do norte europeu. Geralmente, combinavam peças de tecido com couro e peles grossas que pudessem manter o seu corpo aquecido. Além disso, podemos ainda destacar que toda a população apreciava a utilização de acessórios em metal e pedra.

Na esfera religiosa, os vikings eram portadores de uma rica mitologia povoada por vários deuses sistematicamente adorados em eventos coletivos. Várias histórias envolvem a luta entre os deuses nórdicos ou o conflito entre as divindades e os gigantes. Odin era adorado como “o Deus dos deuses”. Thor era a divindade de maior popularidade e tinha poder sobre os céus e protegia povo viking.

Com o processo de cristianização da Europa, ao longo da Idade Média, os vikings foram paulatinamente convertidos a essa nova religião. A dissolução da cultura viking acontece entre os séculos XI e XII. Os vários conflitos contra os ingleses e os nobres da Normandia estabeleceram a desintegração desta civilização, que ainda se encontra manifesta em algumas manifestações da cultura europeia.

Nos Países Nórdicos, a época dos vikings é a última fase da Idade do Ferro germânica que constitui o último período da pré-história Nórdica, seguido imediatamente pelo início da Idade Média.

 

Os Vikings e a religião

 

 

SITES PREMIUM

Antes de o cristianismo chegar na Escandinávia os Vikings adoravam seus deuses nórdicos. Estes eram parecidos com os humanos de muitas maneiras. Eles poderiam argumentar, lutar e cometem erros. Eles poderiam até mesmo ser mortos, mas todos eram poderosos e cada deus era o patrono de uma área específica. Os vikings acreditavam que o cosmos foi criado em conjunto por uma árvore gigantesca, Yggdrasil (que significa "temer o cavalo"). Os ramos da árvore são mundos diferentes: a casa dos deuses de Asgard, o mundo dos homens Midgard, Hel Hades e oknyttens reino Utgard. Em Utgard foram vários países menores que o Black Alvheim, onde os elfos negros e anões viviam, e Jotunheim onde os Giants eram  mantidos.

Os galhos da árvore

Na parte superior da Yggdrasil senta-se águia (Hräsvälg likslukaren ""). Ele é realmente um gigante em forma de pássaro. Com suas grandes asas que chicoteia acima todas as tempestades do mundo. Ele ainda não é a criatura que vive no topo, porque os olhos Hräsvälgs viver falcão Håbrok ou Väderfalner. Ao longo do tronco do-árvore do mundo, para cima e para baixo, para trás e para a frente, correndo esquilo Ratatosk. Ele tem um olho em tudo o que acontece no Yggdrasil e fofocando feliz com isso. Caso contrário, enquanto o seu tempo, provocando o dragão Nidhogg. Existem vários outros animais como veados e cobras em torno da árvore. Caso contrário, mantém a maioria dos seres vivos em diferentes reinos que são os ramos.

http://www.ungafakta.se/vikingar/tro/varldsbilden/tradet/

 

Reinos

Asgard

Aqui estão todos os gudahusen, incluindo salão de Odin Valhalla. Aqui ele vive com sua esposa Frigg e escudeiros todos os dias para o mundo e para o futuro em busca de conhecimento. Oden é que tudo vê e sabe por que os Giants será mais uma vez atacar a Asgard. Então, Ragnarok, ao longo do tempo, e do cosmos renasce. Para defender Asgard, Odin envia as mulheres guerreiras Valquírias em seus cavalos voadores, que recupera as almas dos guerreiros mortos. Como uma grande batalha acabou Valkyries vermelhos para baixo para Midgard e pegou mais bravos guerreiros. Estes foram então viver em Asgard. Eles lutaram durante todo o dia e festejaram noite toda em Valhalla. Era o paraíso para um verdadeiro viking, chamados enhärjarna.

Valhalla era tão grande que 100 homens poderia andar a par através de sua porta. O telhado  coberto com milhares de escudos de ouro e as paredes cobertas com pontas de lança brilhantes. No topo está o pau Gyllenkamme e desperta todas as manhãs ao longo de Asgard com o seu cantar.

Como poderia Odin ao alimentar tantos homens todos os dias? Bem, eles mataram cada noite o grande Särimner javali, que deu incrível boa carne de porco. Fora Valhalla ficou a cabra Heidrun e pastavam em um dos ramos de Yggdrasil. De suas tetas fluiu continuamente um fluxo abundante de hidromel quente.

http://www.ungafakta.se/vikingar/tro/varldsbilden/asgard/

 

Wole

Este é o reino da morte que recebe todos os assassinos, Renegados, ladrões e afins. Ele também abriga as pessoas pobres que não são considerados para ter morrido de uma forma digna de um Viking. Por conseguinte, poderia ser sobre aqueles que morreram de idade ou doença de idade. Hel era um lugar sombrio. Na sua longa escadaria para baixo no cão lobo submundo guardando Garm. Ele é, certamente, acorrentado, mas a cada momento e, em seguida, atira-se para a frente para morder um pedaço de alguém caminhando passado. Portanto, o peito sempre nersölat com sangue fresco.

Os criminosos condenados ao tormento eterno deve percorrer através das Carruagens rio, que não está fluindo água sem as facas e espadas afiadas. Assim, eles morrer aqui uma segunda morte antes que eles vêm em terra em Nastrands, em uma câmara de tortura construída de serpentes entrelaçadas. http://www.ungafakta.se/vikingar/tro/varldsbilden/hel/

 

Hvergelmer

Na água gelada desta fonte é o dragão Nidhogg e mastigação em uma das três raízes de Yggdrasil. De vez em quando ele devorou ​​cadáveres, derrubaram a ele de Hel. Eventualmente Nidhog mordia a raiz, e em seguida, obter o calcanhar árvore do mundo. Será o início da longa fimbulwinter iniciar Ragnarok. http://www.ungafakta.se/vikingar/tro/varldsbilden/hvergelmer/

 

Midigard de Mimer Bem

Este é o mundo que as pessoas designadas por urgudarna Odin, Vili e Ve. Um muro alto de pedra, realmente urjätten sobrancelhas de Ymir, rodeia Midgard para proteger as pessoas contra os gigantes e outras perturbações.

Dentro da parede é o mundo do oceano, onde a serpente de Midgard encontra-se e mastigar sua própria cauda. Pois ela é tão longa que ele acaba ao redor de toda a Terra Média. Então, ele libera os apertos na cauda sabe que Ragnarok está chegando. http://www.ungafakta.se/vikingar/tro/varldsbilden/midgard/

 

Urðarbrunnr

Aqui vivia as três Norns, três mulheres de outro gudaätt antigo chamado dises. Eles eram chamados de Urd, Verdandi e Skuld e dedicavam todo o nosso tempo para girar fios de vida humana. Quando chega a hora para que alguém cortou simplesmente tábua de salvação da pessoa. http://www.ungafakta.se/vikingar/tro/varldsbilden/urdarbrunnen/

 

Utgard

Este é oknyttens reino onde trolls, gigantes, voando bruxas, anões e outras perturbações viver.

Em Sartalvheim vivem os elfos brilhantes torto e parentes maus svartalverna. Eles são muito hábeis em magia e feliz de ajudar bruxos e bruxas com suas habilidades escuros. Também forjas dos Anões, especialmente Brock e Sindre onde todos gudavapen uma vez forjado. Os anões são semelhantes aos seres humanos, com uma grande barba e cabelo emaranhado. Às vezes, os pés diferente do animal, como eles preferem se esconder em seus aventais ferreiro.

Em Jotunheim viviam todos os gigantes. Alguns deles se parecia com os seres humanos e foi, talvez, apenas uma cabeça mais alto que um homem comum. Outros eram elevados como montanhas. A maioria dos gigantes eram criaturas feias desagradáveis, muitos deles com várias cabeças e braços. No entanto, havia também mulheres gigantes que estavam maravilhosamente bela. Oden teve vários filhos com tais madamer.

Havia dois departamentos particularmente desagradáveis ​​de Jotunheim, Niflheim, onde isjättarna viveu, e Muspelheim onde o Surt fogo gigante governado sobre seus súditos. É ácida como irá resultar em Eagnarok gigantes. A pequena ilha vulcânica de Surtsey formado fora da Islândia em 1963, em homenagem ao gigante, e significa "ilha de Surt".

Muitos dos anões eram tão antiga quanto urgudarna, e quase tão poderoso. Por exemplo, Conselheiro, tinha respostas para todas as perguntas e Gandalf era um mago poderoso. O mais poderoso gigante de todos eles depois de Sirte é provavelmente o feiticeiro Utgårdsloke, que vivia no castelo e deu seu nome a oknyttens reino.

http://www.ungafakta.se/vikingar/tro/varldsbilden/utgard/

 

Principais Deuses Nórdicos

ODIM - o pai de todos

 

 

 

- Aegir ou Egir: Deus que aparece como governante do mar, foi adorado e temido pelos vikings, era considerado a própria personificação do oceano e de sua poderosa força. Dizem que ele tinha nove filhas, que costumavam ser consideradas as ondas do mar. Associado ao caldeirão, dando a perceber claramente as ligações entre as tradições nórdicas e celtas, lembrando que foi em suas viagens pelo oceano a oeste que os dois povos se conheceram. Símbolos: o caldeirão e a água.

 - Baldur: Filho de Odin e Friga, amado por todos em Asgard, invulnerável às armas, pois os Deuses haviam prometido a Friga não feri-lo, menos Loki, que tramou sua morte. A arma que Baldur foi morto, segundo Snorri, seria o visco, esse detalhe ganhou grande proeminência por causa da importância do “ramo dourado” e do caráter sagrado do visco entre os druidas, mas que também poderia ser o nome de uma espada chamada Visco. Como uma divindade do céu, ele era considerado um Deus de fulgor e beleza. Seu nome poderia significar literalmente "o brilhante". Símbolos: a roda solar e o fogo.

- Frey: É o Deus da abundância e da fertilidade, que inspirava alegria e devoção. Divindade soberana da paz e da prosperidade, irmão de Freya, filho do Deus Njord e da Deusa Nerthus. Consta que ele possuía um barco, largo o suficiente para acomodar todos os Deuses, que podia ser dobrado e guardado numa bolsa, quando não estava sendo usado. Foi associado também ao cavalo, o javali, o elmo e as armas. Símbolos: a espada e a terra.

- Freya: Era a mais renomada das Deusas, irmã gêmea de Frey, chamada de “a noiva dos Vanirs”. Freya tinha muitos nomes, sendo conhecida como a Deusa do amor, da sexualidade e da beleza, também é a Deusa da guerra que recebe os heróis que morrem nos campos de batalha, juntamente com Odin. Podia assumir a forma de um falcão e viajar grandes distâncias. Associada a um tipo especial de feitiçaria conhecida como Seidr, às jornadas xamânicas e à adivinhação, geralmente chamada de Volva. Freya viajava numa carruagem puxada por gatos, que sugere que os gatos também estavam entre os espíritos de animais que a auxiliavam em sua viagem sobrenatural. Símbolos: a lança e a terra.

- Friga: Rainha do céu, a misteriosa companheira de Odin, como ele, sabia do futuro dos Deuses e dos homens. Associada à fetilidade, ela é considerada a Deusa do casamento, da família, do destino e das crianças. Simboliza a manutenção da ordem, da harmonia e da paz. Friga é a única figura maternal existente em Asgard, considerada a Grande Mãe dos povos nórdicos. Seu nome na forma antiga germânica, Frija, faz referência à sexta-feira, considerado um dia de sorte para os casamentos. Símbolos: a cornucópia e a terra.

- Heimdall: É o guardião da ponte do arco-íris que leva a Asgard, morada dos Deuses. Sua audição é tão boa que ele pode escutar a grama nascendo na Terra ou a lã crescendo no dorso da ovelha. A simbologia da ponte do arco-íris é vasta, pode significar a conexão entre a matéria e o espírito, e a ligação entre os homens e os Deuses. É Heimdall que dá o sinal para os Deuses que o Ragnarok começou. Símbolos: Símbolos: a trompa e o arco-íris.

- Iduna: Deusa da juventude e mulher de Bragi, Deus da poesia. Ela é responsável pela saúde dos Deuses, que precisavam comer uma maçã por dia, vinda do seu cofre de madeira feito de freixo, para manterem sua juventude e força, conhecidas como as maçãs douradas da imortalidade. Em determinada ocasião, Loki transformou Induna e suas maçãs numa noz, uma associação à eterna juventude de nozes e maçãs aos mitos irlandeses. Símbolos: as nozes e a maçã. 

- Loki: Loki, talvez, seja o personagem de maior destaque entre os Deuses do norte. É ele que traz a comédia aos reinos dos Deuses e a tragédia à história de Baldur. Loki é uma figura sinistra e poderosa, porém é mais um ser manhoso e traquino, que perverso, por vezes, escandaloso e de língua ferina, insulta os Deuses e as Deusas com suas revelações maliciosas. Ele participa de várias aventuras em campainha de quase todos os habitantes de Asgard, com exceção de Frey. Tem certos poderes mágicos e o mais notável é a habilidade de mudar de forma. Símbolos: o cavalo e o fogo.

- Mimir: O Gigante, guardião da Fonte da Sabedoria e amigo de Odin. O mais sábio dos Deuses nórdicos, Mimir teve sua cabeça decepada, mas Odin manteve a cabeça viva e a consultava para saber segredos ocultos. É um dos deuses gigantes antigos. Obteve todo o seu conhecimento ao beber do poço da Grande Sabedoria nas raízes de Yggdrasil. Mimir, também chamado Ymir, deu origem aos anões com as partes de seu corpo ao morrer. Símbolos: a cabaça e a fonte.

- Nornes: Deusas do Destino: Urd, Verdandi e Skuld. São as três irmãs que tecem o destino dos homens em seus teares. Guardam a Yggdrasill, a árvore do mundo, que sustenta a Terra.Todas as manhãs fazem chover hidromel sobre suas raízes, para que as folhas permaneçam verdes. São representadas pela virgem, a mãe e a anciã. Urd é muito velha e vive olhando para trás, por sobre os ombros. Verdandi é uma jovem e olha sempre para o presente e finalmente Skuld, vive encapuzada e possui um pergaminho fechado sobre seu regaço, que contém os segredos do futuro. Símbolos: a roda em movimento.

- Odin: Odin é o Pai de Todos, relembrado hoje como o Deus da guerra e da fúria dos vikings. Contudo, ele tem outros aspectos até mais importantes que esses. Nas Eddas, ele é o líder dos Deuses, mas essa posição originalmente era de Tyr, pois Odin tornou-se soberano durante a Era Viking, onde um Deus mais astuto era mais importante que um Deus radicalmente justiceiro. Odin é o Deus da sabedoria e do poder mágico, pois foi ele que resgatou as runas, o alfabeto que guarda os mistérios do universo. Odin também é considerado Deus da morte, por que ele juntamente com Freya, recebiam os guerreiros que chegavam em Valhalla. Símbolos: os corvos: Munin e Hugin, os lobos: Geri e Freki, o cavalo Sleipnir, e a lança Gungnir.

- Thor: Filho de Odin e Jord - gigante, a Terra - provavelmente, é o Deus mais conhecido entre os Deuses nórdicos. Ele é um Deus simples, o patrono dos guerreiros e do povo. Thor é conhecido pelas suas grandes aventuras e por suas batalhas contra os gigantes. Possui uma tremenda força e o martelo Mjölnir, que foi feito pelos Anões. Mjölnir é considerado o maior tesouro dos Deuses por ser a proteção contra os gigantes. Thor é associado ao trovão, também é o Deus da chuva e das tempestades. Símbolos: o martelo e a biga.

- Tyr: Embora raramente seja lembrado nos dias de hoje entre os Deuses mais populares, Tyr é extremamente importante. Ele é o Deus da guerra, da justiça e da nobreza. O mito mais importante envolvendo Tyr mostra tanto bravura quanto honra. Foi ele que perdeu sua mão, para que o Lobo Fenris pudesse ser capturado pelos Deuses. Símbolos: a lança e o escudo.

- Skadi: É a Deusa do Inverno e da caça, casou-se com Njord, Deus dos Mares, porque acabou se confundindo no concurso de pés mais bonitos. Ela queria se casar com Balder, por isso seu casamento não era tão feliz, também é a Deusa da Justiça, da Vingança, e da Cólera. Símbolos: montanhas e locais altos. 

- Valquírias: Espíritos femininos que apareciam para os guerreiros que iam morrer, auxiliavam o Deus da guerra e a travessia ao mundo dos mortos em Valhala, o grande palácio de Odin, onde ele se diverte em festas na companhia dos heróis que morriam em combate. Símbolos: a lança, o cisne e o capacete.

 

Runas

 

As runas são símbolos que nos remetem ao mais profundo autoconhecimento da nossa própria natureza, traduzindo, através da sua grafia, toda ancestralidade e a sabedoria do grande Deus nórdico Odin. 

O 'futhark' antigo, com 24 sinais alfabéticos, ainda é o mais utilizados entre nós para se consultar na forma oracular. As runas são divididas em três grupos de oito símbolos, chamadas aett ou aettir, no plural, e nos permitem acessar o que chamamos de "o inconsciente coletivo das possibilidades". 

 

  1. A Criação - Aett de Fehu:

O primeiro jogo de 8 Runas representam a criação do mundo, a fertilidade e início da vida. Regido pelo Deus Freyr, diz respeito à realização material e ao plano físico.

 

 

 

Fehu (Fêihu) - O gado, a riqueza

Planetas: Vênus e Lua

 

Posição normal: riquezas materiais e espirituais, sucesso e vitória.

Invertida: Frustrações, impasses e perda de estima pessoal.

 

Uruz (Úruz) - O touro bravo, a força

Planeta: Marte

 

Posição normal: Boa sorte, amadurecimento e progresso numa carreira.

Invertida: Oportunidades perdidas, influências negativas e desânimo.

 

  Thurisaz (Thurisáz) - Os espinhos de Thor

Planeta Júpiter

 

Posição normal: Proteção, decisão importante a tomar e boas notícias.

Invertida: Decisões precipitados, cautela e más notícias.

 

Ansuz (Änsuz) - Palavras de Odin

 Planeta: Mercúrio

 

Posição normal: Sabedoria, conselho dado por uma pessoa mais velha.

Invertida: Falta de comunicação, futilidade e movimento inútil.

 

 Raidho (Raithô) - A carruagem

Planeta: Mercúrio

 

Posição normal: Viagem, união e progressos em direção às metas da vida.

Invertida: Rompimentos, fracassos e viagens desagradáveis.

 

Kano (Kenaz) - A tocha

Planeta: Marte

Posição normal: Renovação, novos começos e iluminação.

Invertida: Perda de prestígio social ou de posses valiosas, fim de um ciclo.

 

 Gebo (Gueibo) - O presente

Planeta: Vênus

Posição normal: União, equilíbrio, bons negócios e amor correspondido.

Invertida: Não tem posição invertida.

 

 Wunjo (Uúnjo) - A alegria

Planetas: Vênus e Saturno

Posição normal: Felicidade, bem estar e transformação para melhor.

Invertida: Infelicidade emocional, crises e perdas afetivas.

 

 

  1. A Necessidade - Aett de Hagal:

O segundo Aett de 8 Runas, ensina-nos a aprender com as adversidades da vida. Regido pelas forças da natureza e dos elementais, diz respeito ao plano emocional.

 

Hagalaz (Hagalaz) - O granizo

Planetas: Vênus e Saturno

Posição normal: Precauções, limitações e adiamento dos planos.

Invertida: Essa Runa não tem posição invertida. Símbolo enigmático. 

 

 Naudhiz (Nauthis) - A necessidade

Planeta: Saturno

Posição normal: Paciência e cautela para que os planos sejam bem-sucedidos.

Invertida: Evite a precipitação, controle a raiva e aprenda com a adversidade. Dependendo do material estudado não há posição invertida.

 

 Isa (Ísa) - O gelo

Planeta: Júpiter

Posição normal: Período de gestação, saber esperar o momento oportuno.

Invertida: Essa Runa não tem posição invertida.

 

 Jera (Jéra) - A colheita do ano

Planeta: Mercúrio

Posição normal: Período de espera, fertilidade, alegria e satisfação.

Invertida: Essa Runa não tem posição invertida.

 

Eihwaz (Éiuaz) - O teixo

Planeta: Júpiter

Posição normal: Proteção, final de um ciclo e começo de uma nova vida.

Invertida: Essa Runa não tem posição invertida.

 

 Perdhro (Perthro) - Algo oculto

Planeta Júpiter

Posição normal: Ganhos inesperados, conhecimentos ocultos e espiritual.

Invertida: Desapontamentos, traições e paciência.

 

Algiz (Algiz) - A proteção do alce

Planetas: Júpiter e Vênus

Posição normal: Viagem, novos caminhos, alegria e progresso.

Invertida: Inquietação, vulnerabilidade e perigos vindo de fora.

 

 Sowelo (Souelú) - O Sol

Planeta: Sol

Posição normal: Autorealização, regeneração e vitória.

Invertida: Essa Runa não tem posição invertida.

 

 

  1. A Humanidade - Aett de Tyr:

 

O terceiro Aett de 8 Runas, nos mostra como conduzir a nossa vida. Regido pelo Deus Tyr, invoca a justiça e diz respeito à realização do plano espiritual.

 

Tiwaz (Tiuás) - O Deus Tyr

Planeta: Marte

Posição normal: Vitórias, discernimento, intuição e poderes psíquicos.

Invertida: Problemas emocionais e força vital sendo desperdiçada.

 

Berkana (Bercana) - O vidoeiro

Planetas: Lua e Júpiter

Posição normal: Nascimento de um bebê ou nova ideia e amadurecimento.

Invertida: Confusão. Desânimo, separações e carências.

 

Ehwaz (Éuaz) - O cavalo

Planeta: Mercúrio

Posição normal: Movimento, mudanças, progresso e lealdade.

Invertida: Saber esperar, evitar ação e mudanças.

 

Mannaz (Mánaz) - O homem

Planeta: Saturno

Posição normal: Integração, confiança e clareza interior.

Invertida: Falta de fé, bloqueios e inimigos ocultos.

 

Laguz (Lagús) - A água

Planeta:  Lua

Posição normal: Fluidez das emoções, intuição e poderes psíquicos.

Invertida: Pensamentos confusos, enganos e fracassos.

 

Inguz (Iguáz) - A Deusa Freya

Planeta: Vênus

Posição normal: Realização de um sonho, nascimento, amor e sexualidade.

Invertida: Essa Runa não tem posição invertida.

 

Dagaz (Dagaz) - O dia

Planeta: Sol

Posição normal: Prosperidade, mudanças e transformações positivas.

Invertida: Essa Runa não tem posição invertida.

 

Othila (Ocíla) - A herança

Planeta: Saturno

Posição normal: Bens ancestrais, propriedade, heranças e notícias de longe.

Invertida: Problemas com propriedade e heranças.


 

Os mitos podem nos levar a descobrir mais sobre nossa herança espiritual, e talvez perceber alguns dos defeitos no desenvolvimento espiritual do mundo moderno. O estudo da mitologia não precisa mais ser visto como uma fuga da realidade para as fantasias por parte dos povos primitivos, e sim como uma busca pela compreensão mais profunda da mente humana. Ao nos aventurarmos em explorar as distantes colinas habitadas pelos Deuses, estaremos talvez, descobrindo o caminho de casa. A mitologia nórdica possui grande importância na configuração da cultura dos antepassados desses povos

 

 

 

 

Translate to English Translate to Spanish Translate to French Translate to German Translate to Italian Translate to Russian Translate to Chinese Translate to Japanese
Ultimas Atualizações
Textos para reflexão  (03-06-2020)
Intuição  (03-06-2020)
Mandalaterapia  (22-07-2019)
Al-Khymia dos Cristais  (22-07-2019)
Microcosmo Místico  (21-07-2019)
O Homem e a Oração  (18-07-2019)
Autobiografia Espiritual  (18-07-2019)
Angelographya  (03-03-2019)

Rating: 2.6/5 (1107 votos)




ONLINE
1




Partilhe esta Página