Oyá, Senhora do Entardecer 
Mandalaterapia
Mandalaterapia

 

Mandalaterapia – Terapia da Emoções

A expressão Mandala tem origem da língua Sânscrita ou Sânscrito, falada na Índia antiga e significa um círculo, ainda que, também, como composto de “manda” (essência) e, “la” (conteúdo), o que contém a essência ou a esfera da essência ou ainda ou ainda, círculo da essência. Falar em mandalas é falar em eternidade, pois estão presentes ao longo da História da Humanidade que se expressa em formas circulares. Encontram-se vários vestígios em antigos detalhes rupestres na África, Europa e América do Norte.

São símbolos ancestrais que representam o universo e possuem um campo energético de grande força. O Todo que compõe o Macrocosmo é repleto de formas geométricas que formam Mandalas Cósmicas, representa a ordem e a harmonia existente no Universo. O Todo que compõe a Natureza possui formas geométricas, em todos os seus reinos e em todos os seres vivos e inanimados. Esses desenhos sagrados de formas geométricas abrigam forças sagradas da natureza e representam um simbolismo perfeito. No Microcosmo (Homem), nossa história natural de existência nos mostra que crescemos por meio da fecundação de um ovo (óvulo) após, atravessamos uma passagem tubular envolvida numa série de músculos circulares para, finalmente, chegarmos ao mundo através de uma abertura circular. Após o nascimento do ser humano, que ocorre num planeta também cuja forma é circular, entramos em contato com a primeira forma: o peito da mãe, também circular, num corpo formado de átomos que se movimentam através de padrões curvos.

 

As Mandalas nas Religiões

As Mandalas no Oriente são consideradas de Culto, ou seja, contém, em seu centro, uma figura do mais alto valor religioso, como por exemplo, Shiva ou Budha. Muitas destas Mandalas, formadas por círculos e triângulos, recebem o nome de Iantras e, são traçadas no chão, com pós coloridos para inspirar a meditação. Cada adorno, cada cor, cada símbolo, representa um tema verbal, glorificar ou clarificar. As mais conhecidas são as do Hinduísmo e Budismo e todas, com a mesma finalidade, transmitir ensinamentos em sua contemplação em primeiro lugar, como também, ornamentar, A maioria dos Mestres Orientais consideram que as Mandalas contribuem para a compreensão libertadora, chamada “iluminação”.

No Cristianismo, encontramos no uso da cruz que simboliza o encontro dos quatro elementos, as quatro direções, ou na arte românica, com os seus Cristos em glória dentro da amêndoa mística (A Mandala), ou flanqueados pelos quatro evangelistas e seus símbolos, ou ainda, as Mandalas de representação dos vários mundos (ou círculos planetários), até se chegar ao mundo divino.

No Islamismo, as Mandalas são encontradas em azulejos, abóbodas e nichos de oração, sobretudo com os nomes de Deus traçados e finas caligrafias geométricas, nos templos e nos livros.

No Budismo, encontramos Mandalas muito desenvolvidas, em especial no Väjrayäna (diagrama de uma mansão sagrada), com as quatro portas ou direções, por onde se entra e se vai realizando as qualidades de cada um desses níveis ou estados, para se chegar a Iluminação, ao Nirvana. 

Também são encontradas nas rosas-dos-ventos, desenhadas e utilizadas pelos portugueses nos descobrimentos, ou nos mapas astrológicos, desde os tempos da Babilônia e de Roma e chegando até os nossos dias, com os doze meses, doze signos, centrados pelos quatro elementos e pelas quatro estações do ano, centrados no Sol, símbolo, também, do espírito de Deus.

As Mandalas foram conhecidas no Ocidente graças ao interesse pela tradição religiosa/espiritual/esotérica sobre o mundo Oriental. No Ocidente, as Mandalas servem de elemento ilustrativo ou decoração. De qualquer forma, tem o poder de potencializar o equilíbrio interior.

 

Formas geométricas usadas nas Mandalas

Em uma Mandala, o espaço interior onde a mesma se desenvolve é sagrado. O desenho quase sempre tem uma figura geométrica, que divide o espaço em divisões simétricas. A emanação das figuras geométricas e do número de divisões do espaço é uma realidade. O conjunto de figuras, símbolos e cores determinam a vibração. É este campo de força que modifica a energia de nossos Planos de consciência ou expressão: Físico, Mental, Emocional e Intuitivo. O estudo aprofundado das figuras geométricas nas formas, fez com que o homem as usasse de uma maneira que extrapola o meramente humano e prático, se tornando uma ferramenta de contato com o que é sobre humano, o Divino.

Círculo – O significado universal deste símbolo é um ponto central de foco, sagrado e divino, uma energia espiritual. Uma linha sem começo e fim, símbolo da eternidade que separa o espaço sagrado do profano. Por delimitar um espaço, tudo que está dentro dele está fortalecido e protegido, pois é a área de atuação de Deus, a abrangência de seu poder, que se irradia em todas as direções, sendo ilimitado. Carlos Yeung considerava o círculo como um arquétipo geométrico da psique e, quando combinado com o quadrado (arquétipo do corpo) explica a relação ou o equilíbrio entre a psique e o corpo. Todo entendimento (com base em humanos) está em sua órbita ocular, considerada, também, um espelho da percepção, que pode ver tudo que simboliza a forma circular no Universo, como os Planetas. Ao meditar nesta forma, pode ativar aspectos como: inclusão, totalidade, foco, unidade, ciclos, perfeição, útero, centralização, revolução, infinito, mobilidade, realização.

Cruz - A cruz representa o ponto de encontro de energias divinas, cada braço simboliza um ramo da sabedoria superior e, se tiver um círculo em sua volta, o ponto central será um ponto focal que é nosso destino espiritual. Ao meditar na cruz, as energias começam a centralizar a canalização com a unidade. Ao meditar nesta forma serão ativados os aspectos de: Equilíbrio, espiritualidade, a honra, fé, unidade, temperança, esperança, ascensão e vida.

Espiral – Um dos mais importantes símbolos universais representa o arquétipo do cosmos e o processo evolutivo do universo. No sistema hieroglífico egípcio, a espiral denota as formas cósmicas em movimento, ou a relação entre a unidade e a multiplicidade, entre o centro e o círculo. Em termos de espiritualidade, este símbolo pode representar o caminho que conduz da consciência exterior (o materialismo, a consciência externa, o Ego, a percepção) para a alma (iluminação, essência invisível, nirvana, consciência cósmica). Movimentos entre o mundo (intuitivo) interno e (matéria que se manifesta) externo são mapeados pela espiral de anéis de arquetípico, marcando a evolução da humanidade, individual e coletiva. Além de crescimento e renascimento, o símbolo da espiral pode representar início de consciência da natureza no núcleo ou centro e, assim, expandir para seu exterior, pois este é o caminho de todas as coisas. Ao meditar nesta forma são ativados os aspectos como: Equilíbrio, progresso, direção, iniciação, expansão, consciência, conexão, desenvolvimento, evolução e crescimento global, desapego, entrega, consciência do outro no contexto do todo, conexão e união com as energias divinas e cósmicas.

Quadrado - O quadrado ressalta a dualidade potencial no todo e incentiva o equilíbrio, indica a vibração do número quatro, a matéria (Elemento Terra e a direção Norte), o mundo das ações e realizações físicas. Não há muita simbologia espiritual em um quadrado, mas seu poder para realizar alterações no plano material é intenso, desta forma, quem desejar resolver problemas na sua vida terrena terá boas emanações de uma Mandala cuja estrutura esteja alicerçada no quadrado. Simbolizando a forma do quadrado, temos as quatro direções cardeais (norte, sul, leste, oeste), as estações do ano (inverno, primavera, verão, outono), os quatro elementos cósmicos (sóis, luas, planetas, estrelas), as quatro fases comuns da vida humana (nascimento, criança, adulto, morte), os quatro principais elementos da natureza (fogo, terra, ar, água). Ao meditar nesta forma pode ativar aspectos como: definir metas, iniciar projetos, explorar todas alternativas que signifique estabilidade.

Triângulo - Qualquer discussão sobre o significado do triângulo não pode continuar sem se conectar com o número três. Na verdade, o significado do triângulo é inseparável do número três. Três representa a união dos números anteriores a ele (um e dois). O um, representa a força, o dois, uma abertura, resultando no número três, que é o nascimento da verdadeira sabedoria. O triângulo com o vértice para cima representa a energia do Sol, masculino, ativo, pai, montanha e, com o vértice para baixo, representa a energia da Lua, feminina, passiva, caverna, abaixo. Além dos Elementos Fogo e Água, representa também, a Terra e o Ar. Ao meditar nesta forma pode ativar aspectos como: criatividade, harmonia, proporção, ascensão, gênero, manifestação, iluminação, integração, subjetividade, culminação.

Hexágono – a estrela de seis pontas tem uma forma sagrada par algumas crenças religiosas, símbolo da dupla aspiração espiritual e humana. Indica o campo de atuação da busca, que é, mais intensamente realizada à nível familiar, com seus apegos e desapegos. É conhecida como a Estrela de Davi, simboliza a fé, aplicada à vida material e a fé transformada numa ligação real com Deus. Composta por triângulos sobrepostos, o Fogo e a Água, ou seja, a totalidade do indivíduo.

Polígonos estrelados – muito comuns nas Mandalas, pois além de sua força vibracional, muito leve e inspiradora, sua simbologia está relacionada com a base numérica na qual estão estruturados. Por isso, sempre é interpretado como emanação de um número que está representado pela quantidade de pontas da estrela.

 

Símbolos nas Mandalas

Os símbolos desenhados nas Mandalas variam com as diversas culturas, nem todos são universais, mas trazem suas mensagens transmitidas através da meditação.

Água - Emoções, fonte da vida, fluxo de espiritualidade, verdade e conhecimento, pureza e purificadora, batismo, profundezas do inconsciente. O simbolismo da água possui dois lados, o que dá e o que tira a vida. Ela pune o pecador, mas não atinge os justos. As águas cristalinas, limpas, puras e calmas, denotam seu lado bom, mas as águas poluídas mostram seu lado ruim, sujo, doente e de morte. A água simboliza também a fertilização. A ribeira, o rio e o mar representam o curso da vida.

Âncora - Firmeza, solidez, tranquilidade, fidelidade, conflito e atraso. No meio da mobilidade do mar e dos rios, ela fixa, amarra e imobiliza, deixando estável a embarcação. Também pode significar amarras e atraso, o conflito entre o sólido e o líquido.

Anel - Eternidade, união, elo. O anel nupcial e o anel pastoral servem para vincular, indicar um elo entre um destino ou uma comunidade.

Anjo - Mensageiro de boa nova ou aviso sagrado. Símbolo de ordem espiritual, das funções divinas e das relações de Deus com as criaturas. Também podem simbolizar as funções humanas sublimadas ou as aspirações insatisfeitas e impossíveis, sinais de advertências.

Ar - Um dos quatro elementos primordiais: terra, fogo e água. Representa os signos de gêmeos, libra e aquário. Símbolo de lucidez, do fluxo de pensamentos, de idéias e das forças mentais. É o mundo sutil e a expansão. O ar representa a via de comunicação entre a terra e o céu. Purifica e espiritualiza.

Arco-íris – A ponte entre o céu e a terra, individuação, renascimento, a união das metades separadas e a resolução, a restauração da ordem cósmica.

Árvore - Conhecimento, desenvolvimento, vínculos familiares, crenças, símbolo da vida em evolução e em ascensão para o céu. Ela sempre está em comunicação com o cosmo em seus três níveis: subterrâneo pelas raízes, na superfície pelo seu tronco e galhos inferiores, e nas alturas, por meio dos galhos superiores e seu cimo sempre em busca da luz.

Balança - Simboliza o equilíbrio a ponderação e a justiça principalmente a do julgamento. No cristianismo é símbolo do juízo final. No zodíaco o símbolo da Balança é o sétimo signo. Quando a balança surge em Mandalas e nos sonhos é sensato refletir nos assuntos acima.

Boca - Representa a palavra, a respiração e o alimento, pois todos passam por ela. Como símbolo da criação, a boca é o lugar por onde a alma é insuflada, também é vista como aniquiladora, pelo seu mastigar e engolir. Por suas palavras pode amar ou destruir. Ela é símbolo de poder do espírito e da força criadora.

Borboleta - Símbolo da transformação por sua metamorfose: ovo, lagarta e crisálida, até alçar voo como borboleta. Também simboliza a ligeireza e a inconstância.

Chave - Simboliza abertura ou fechamento. Tem um papel discriminatório, pois determina quem pode entrar no reino dos deuses. Pode significar o encontro de uma saída, quando se quer resolver algo. É ainda o caminho da purificação no qual encontramos as três chaves: de prata, de ouro e de diamante

Coroa - Representa a realeza e o domínio sobre si mesmo. Simboliza a responsabilidade pelo que se domina e a vitória. É o ponto máximo da cabeça e a ligação com os planos cósmicos e espirituais.

Coração - É um dos mais importantes e universais símbolos esotéricos, verdadeira sede da inteligência, já que a ele corresponde ao cálido e luminoso Sol (ao cérebro corresponde à luz fria e refletida da Lua), simboliza a importância do amor, da iluminação espiritual e da felicidade

Cristal - Pureza, clareza, cura, irradiação de energia. Distingue-se do diamante pelo seu grau de maturidade embriológica, é um diamante que ainda não amadureceu. Ligado aos sonhos e aos devaneios, como os sapatinhos de cristal ou o castelo de cristal.

Dia – O contrário da noite simboliza a clareza de pensamentos e idéias, a razão. O dia também representa as quatro estações do ano: a primavera – manhã, verão -meio-dia, o outono - tarde ou ao pôr-do-sol, o inverno – noite.

Espada - Simboliza a coragem, ambição, agressão, bravura, poder e justiça. Simboliza a decisão e a separação. Simboliza também as virtudes militares e a força e valentia masculina.

Espelho - Simboliza o saber, o autoconhecimento, a consciência, a verdade e a clareza. Símbolo da criação que reflete a inteligência divina e do coração humano e puro, que abriga Deus. Na China é símbolo da sabedoria contemplativa e não-ativa.

Estrela da manhã - Se refere à posição no firmamento do planeta Vênus, a última estrela a desaparecer após o amanhecer. Simboliza a luz que vence a noite. Luz sobre as trevas. No cristianismo simboliza Cristo e a Virgem Maria.

Estrela da tarde - Se refere a posição no firmamento do planeta Vênus, a primeira estrela a surgir juntamente com o pôr-do-sol. Simboliza o cair da noite, com seus mistérios e revelações.

Estrela Polar - Estrela em torno da qual parece girar o firmamento, por isso, é considerada muitas vezes como o centro do Cosmos, o umbigo do mundo, a porta do céu, o eixo cósmico ou o cimo da montanha do mundo.

Flecha - O símbolo universal da ultrapassagem de uma condição a outra. A flecha também simboliza a rapidez do pensamento, do aprendizado e da intuição. Pode indicar uma realização e morte súbita. Junto com o arco simboliza o amor. Ainda, indica a direção para onde se está indo

Fogo - Purificação, espiritualidade, transformação, transmutação, destruição. O fogo é sagrado e tem o poder de destruição para se alcançar uma esfera mais elevada de desenvolvimento. Na astrologia, o fogo é atribuído aos signos de Áries, Leão e Sagitário.

Folha - Símbolo de felicidade e prosperidade. Simboliza o pudor, novos inícios, cura e renovação.

Fonte - É considerado um símbolo universalmente sagrado, por jorrar água virgem, pura e viva. É associada a todo simbolismo da água, sendo que a sua água é especial. Quando dizemos que bebemos da fonte é porque bebemos algo muito especial. Simboliza a juventude e a purificação

Galho seco - Simboliza idéias, crenças e hábitos obsoletos. Necessidade de mudanças.

Globo alado -   Símbolo de muitas religiões, representa o relacionamento entre o corpo, a alma e o espírito. Simboliza a liberdade da alma.

Gotas - a chuva está associada à fertilidade na mitologia. Como a água da chuva cai do céu, ela é pura, associada, muitas vezes, ao ato de purificação. Costumamos relacionar também gotas de chuva a lágrimas, que levam embora nossa tristeza ou raiva.

Igreja - Simboliza crenças e impressões acumuladas. Proteção e comunhão divina. A igreja é considerada como a esposa do cristo e a mãe do cristo e, por isso, também simbolizam a mãe.

Janela – Simboliza a abertura e a receptividade para boas influências.

Jardim – Simboliza o Paraíso terreno e celeste. Murado simboliza as dificuldades e os obstáculos a serem superados, antes de se chegar ao Paraíso, ou a um nível de desenvolvimento mais elevado.

Laço - Simboliza o poder soberano ou judiciário, o poder de atar e desatar. O compromisso assumido espontaneamente.

Lago - Representa o feminino e o inconsciente. Pode ser calmo ou pantanoso e traiçoeiro. O olho pelo qual os seres subterrâneos observam os humanos. Também o lugar onde moram as ninfas, fadas e outros Elementais que atraem pessoas para a morte.

Lágrima - Simboliza a dor. A lágrima é comparada à pérola ou à gota de âmbar. Pode significar liberação de emoções, limpeza e purificação.

Lama - Simboliza a matéria primordial e fecunda de onde surgiram os seres viventes, e de onde tudo foi tirado. A lama é a mistura de terra e água, na qual ocorrem transformações. Símbolo mítico pode apresentar a escória da sociedade e os níveis inferiores do ser.

Lâmpada - Simboliza a luz espiritual e individual do ser. No ocidente a lâmpada usada em ritual significa a presença de Deus. Representa a vinda de insights e boas idéias de planos superiores.

Lança - Símbolo fálico, ígneo e solar. Simboliza a guerra e o poder. O eixo do mundo. Animais transpassados por lanças significam vícios a serem superados.

Letras - Segundo a cabala as letras contêm uma forma criadora e por isso não devem ser conhecidas pelo homem, caso contrário, poderia criar como Deus. Podem ser divididas segundo os quatro elementos, e possuem valores numéricos, sendo sua natureza fundamental e astral, permitindo se chegar a conhecimentos secretos, ocultos e esotéricos, inacessíveis de outra forma.

Lótus - O lótus desabrocha sobre águas estagnadas, com rara beleza e perfeição, e é associado ao alcance da perfeição pelo homem. É para os orientais o mesmo que a rosa é para os ocidentais. Amor e sabedoria.

Machado - Associado ao raio e a chuva. Guerra e destruição. Instrumento sagrado e símbolo da iluminação.

Moeda - Símbolo da fartura. Qualquer tipo de troca.

Montanha - Encontro entre terra e o céu. A montanha é a morada dos deuses, e o subir a montanha o alcance da espiritualidade. Usado para representar o caminho do buscador ou discípulo, iniciado no sopé da montanha, rumo ao alcance da iluminação.

Nascente - É venerada de maneira geral como origem dos poderes nutrientes, como símbolo da pureza e da profusão fecunda. Na Bíblia, simboliza a vida eterna e o renascimento. Para Jung a fonte é um símbolo da inesgotável energia psico-espiritual.

Neve - Simboliza a castidade e a intangibilidade, no cristianismo simboliza a Virgem Maria.

Nevoeiro - Simboliza algo indeterminado, da passagem de um estado para outro.

Ondas - Simboliza a agitação, a vivacidade, e também as forças incontroláveis.

Orquídea - Na China, é associada à primavera. Era utilizada para expulsar influências nocivas, principalmente a esterilidade. Perfeição e pureza espiritual

Sino - Símbolo do chamado para a prece e para a lembrança da obediência às leis e aos deveres divinos. Ligação entre o céu e a terra. Na China o som do sino simboliza a harmonia cósmica.

Sol - Um dos símbolos mais diversificados. O sol simboliza a manifestação da divindade para muitos povos. A luz, a inteligência cósmica suprema e o princípio vital.

Sombra - O que se opõe a luz e a própria imagem das coisas fugidias, irreais e mutantes. A sombra é o aspecto yin, oposto ao yang.

Taça - A taça ou copa possui um simbolismo amplo, podendo de um lado representar o vaso da abundância ou o vaso que contém a poção da imortalidade. Como vaso de abundancia pode simbolizar o seio materno que produz leite. A taça também simboliza o Graal, o cálice que recolheu o sangue de Cristo.

Pérola - Símbolo lunar ligado à água e a mulher. Possui vários significados: para os gregos, simboliza o amor; na Europa, era usada para tratar a saúde, os hindus utilizavam seu pó como revigorante e afrodisíaco. Os chineses e árabes usavam para tratar doenças dos olhos. A pérola simboliza, também, a lágrima e a tristeza

Querubins - São seres de forma metade humanos e metade animal que pertence às hierarquias espirituais superiores. No antigo testamento os querubins eram seres que acompanhavam Jeová. São representados com asas e olhos que simbolizam a onisciência dos mundos espirituais superiores.

Raio - Símbolo do poder divino, da fúria ou da criação. O feixe de raios é considerado um atributo de Júpiter e de Indra, pois, do centro de uma espécie de grande fuso saem vários dardos em ziguezague. Às vezes esse fuso pode aparecer em forma de lança pontiaguda, de tridente ou de outro instrumento semelhante.

Rio - Símbolo do fluir, da possibilidade da fluidez das formas e da fertilidade. O curso das águas simboliza a corrente da vida e da morte. O rio, por estar sempre fluindo, simboliza também a renovação e a transitoriedade.

Rochedo ou Rocha - Símbolo da imobilidade e do imutável. Na China o rochedo opõe-se à cascata, como o yang ao yin. No antigo testamento, simboliza a força de Jeová e sua solidez na aliança de sua fidelidade a Deus. Nos salmos, é visto como o amparo de Deus.

Terra - Simboliza a mãe, fonte do ser e protetora contra qualquer força do mal. A terra opõe-se ao céu como princípio passivo ao princípio ativo. Aspecto feminino. Na astrologia está ligada aos signos de touro, virgem e capricórnio.

Unicórnio - Símbolo de poder, luxo e pureza. Na China antiga, era emblema da realeza e das virtudes régias. Seu chifre único no meio da fronte simboliza a flecha espiritual, o raio solar, a espada de Deus, a revelação divina. A penetração do divino na criatura.

Ouroboros - Serpente que morde a própria cauda e simboliza um ciclo de evolução encerrado nela mesma. Contém ao mesmo tempo as idéias de movimento, de continuidade, de autofecundação e do eterno retorno.

Torre - Simboliza o poder ou ascensão para além do cotidiano. Virgindade e a gradual ascensão espiritual do homem em direção ao céu. Símbolo fálico.

Trigo - Simboliza o nascimento e a morte ou da morte e do renascimento. A espiga de trigo é o símbolo da virgem Maria, contém os grãos com que se produz a farinha para a hóstia. Fecundidade e abastança.

Vela - Está ligada à chama e a vida ascendente.

Zodíaco - É um símbolo em si e um conjunto de símbolos particulares que variam segundo diversas relações. O zodíaco simboliza um ciclo completo e cada um de seus signos uma fase evolutiva. O círculo zodiacal é dividido em doze, número este que corresponde constelações.

 

Símbolos de Animais nas Mandalas

Abelha - organização, pureza, trabalho, disciplina, perseverança, a eloquência, a poesia e a inteligência. A abelha produz o mel, mas também possui ferrão, é um símbolo de natureza ígnea, portanto, representam as sacerdotisas do templo e as pitonisas, as almas puras dos iniciados.

Águia - poder, elevação, grandes ideais e conquistas, percepção clara, estados elevados de espiritualidade. Rainha das aves, pois somente ela fixa os olhos no sol sem queimá-los. A águia também é símbolo do pai e da paternidade. Como a fênix, simboliza a regeneração. É a senhora do raio e do trovão. Ainda, simboliza os caçadores, guerreiros e conquistadores.

Coruja - Sabedoria, inteligência, silêncio. A coruja é relacionada com a lua. Símbolo do conhecimento racional, da clarividência, da reflexão e iluminação, e das trevas. Mais recentemente, a coruja também simboliza o tenebroso, o mau augúrio, é ingrediente para poções mágicas.

Elefante - Animal sagrado. Na Ásia é a montaria dos soberanos. Símbolo de poder, da sabedoria, da paz e da prosperidade. É a montaria do Deus Indo, Indra. Ganesha, filho do deus Chiva possui a cabeça de elefante e é o deus que afasta todos os obstáculos.

Fênix - Morte e renascimento, purificação do ser, triunfo da vida sobre a morte. A fênix é um pássaro mítico e sagrado, de extraordinária longevidade que tem o poder de depois de consumida pelas chamas renascer de suas próprias cinzas. A fênix “macho” é símbolo da felicidade e a fênix “fêmea” é o emblema da rainha, juntos significam uma união feliz.

Formiga – As abelhas são associadas à organização, ao trabalho e à previdência.

Galinha - Simboliza a maternidade cuidadosa e protetora.

Galo - Símbolo solar e do fogo pela sua crista vermelha e sua plumagem colorida e por anunciar o amanhecer. Símbolo da superação das trevas pela luz. É também símbolo da vigilância. Ainda é símbolo da fertilidade. Pode simbolizar o orgulho ou o comportamento imponente e acentuadamente machista. O galo é o décimo signo do zodíaco Chinês e corresponde ao signo de Capricórnio.

Grilo - Para os chineses é símbolo da vida, da morte e da ressurreição. Simboliza a metamorfose, sua presença no lar é considerada promessa de felicidade.

Lagarta - Animal rastejante que se assemelha ao verme. A baixeza e a feiúra. Nos Upanixades esse animal simboliza a transmigração e a transmutação, pela maneira como passa de uma folha a outra e de larva para borboleta.

Lagarto - Ligado ao sol. Simboliza a procura pela luz e pelo conhecimento.

Macaco - Simboliza a agilidade e a inteligência. Na Índia o macaco é sagrado e não comestível. No extremo oriente, é representado por três macaquinhos: uma tampa os olhos, o outro a boca e o terceiro os ouvidos, como que dizendo não vejo, falo e escuto que são três virtudes importantes para a vida.

Ouriço - Simboliza o ovo do mundo.

Pássaro - Simboliza as relações entre o céu e a terra. Estados superiores dos seres e dos anjos.

Peixe - Simboliza ao mesmo tempo a fertilidade e a morte. Ligado à água e ao Cristo, sendo, portanto, considerado alimento espiritual. Corresponde ao décimo segundo e último signo do zodíaco.

Salamandra - Acreditava-se que a salamandra era capaz de viver no fogo sem ser consumida. Porém por ser fria, também lhe era atribuído o poder de apagar o fogo. A salamandra simboliza o justo que não perde a paz da alma e a confiança em Deus. Para os alquimistas, simboliza o enxofre.

Serpente - É fria, lisa e muda de pele periodicamente. Sua picada pode ser venenosa, o próprio veneno é usado como antídoto. Todos estes atributos fazem-na um símbolo multiforme. Na China é vista como um símbolo yin, e ligada a terra e a água. Na mitologia hindu, a naja é uma serpente mediadora entre os deuses e os humanos, ora são boas e oras são más. A serpente kundalini, enroscada na base da coluna do homem, simboliza a sede da energia vital. Para a psicanálise, a serpente é um símbolo fálico.

Tartaruga - Simboliza a longevidade e a proteção.

 

Símbolos Planetários e Numéricos nas Mandalas

Cada número possui uma energia própria e característica, influenciando na personalidade das pessoas e na natureza, os números são polarizados, os números pares são negativos e femininos e os números ímpares positivos e masculinos. Todos os números possuem o lado bom – está relacionado com as características básicas do número ou lado mau - com as características opostas, devido a Lei da Dualidade. Os números são cíclicos, tudo começa no 1 e termina no número 9, retornando ao 1 novamente. Em função disso, a natureza também é cíclica. Os Planetas apresentam uma estreita relação com os números, tendo em vista que ambos, planetas e números, são símbolos energéticos.

Número 1 – Representa à unidade, independência, preguiça, início, iniciativa, força, liderança, chefia, comando, tirania, maldade e poder, é chamado de - O General. No biorritmo significa Semeadura. Planeta Sol: O Espírito está simbolizado pelo Sol, bem como a busca pelo contato com o Eu Interior. O Sol é a esfera central do Sistema Solar, o regente supremo, a origem e o final de tudo. Isto está indicado no seu símbolo, um Centro com sua Circunferência, Alfa e Omega. É o espaço total, seja em sua origem central ou como exterior. É o todo e o resumo do Sistema que dele depende. Significa nosso Eu Superior sublimado, o coroamento de nossa evolução nesta vida, nossa superestrutura de consciência. É a nossa vitalidade e a nossa necessidade de experiências, poder e expressão, criatividade, dignidade e autoridade

Número 2 – Representa à dualidade, consciente, tímido, emocional, feminino, afetividade, sistemático, sensível, diplomático, medroso, humanitário, idealista, sonhador, criativo, bom, sado masoquista, dramático, ciumento é chamado de – O Soldado. No biorritmo é a Colheita. Planeta Lua:  Simboliza a esfera das formas, os distintos níveis de formas representadas pelos Quatro Elementos. Polariza com o Sol, ao ser para a Terra aquilo que é para o Astro Central. Como sugere seu símbolo (o da Lua Minguante), representa a divisão por quatro (quadrantes elementais), existindo por isso quatro deuses lunares para simbolizar suas quatro fases. A Lua representa a imaginação, assimilação das coisas, sensibilidade e autoimagem, o psiquismo e a receptividade; a mãe, o povo. É a personalidade que é a esfera de nosso eu pessoal, nossas energias mais básicas, o ambiente mais próximo e fundamental.

Número 3 – Representa ação, atividade, fertilidade, masculino, prazer, impaciente, esperto, vivo, negociante, materialista, para ele os fins justificam os meios é chamado de – O Negociante. No biorritmo é o Colhe o que semeou.  Planeta: Júpiter: Significa o princípio da expansão e crescimento, senso de lei e de justiça, benfeitor e guru, otimismo e nobreza, generosidade, alegria e autoconfiança, esportes, consciência. Símbolo tradicional da maestria é chamado Guru em sânscrito. É o tronco da planta. Polaridade positiva.

Número 4 – Representa a natureza, material, corpo, concreto, disciplina, ordem, sistemático, lógica, razão, instintos, justiça e finanças, crítico, equilibrado, ponderado, racional, sábio. É um velho com alma de menino. É uma eterna criança com alma de cigano centenário. Ingênuo. No biorritmo é o Sustentáculo da Família. Planeta Urano: Representa originalidade e as mudanças repentinas, a impessoalidade e a visão superior. Traz excentricidade e emotividade, impulsos criativos e genialidade, análise profunda e sabedoria, altruísmo e utopias. Representa intuição, idealismo, astrologia e superação. Analogia com o Sol e Mercúrio. Polaridade neutra.

Número 5– Representa os sentidos, evolução, mudança, locomoção, adaptação, aprendizado, liberdade, comunicação, equilíbrio, orgulho, sempre sai dos problemas na hora H, detesta a rotina, do dia-a-dia, ama o novo, o diferente, é chamado de - O Inusitado. No biorritmo “colhe o trigo e não colhe o joio”. Planeta Mercúrio - Simboliza o nível da Alma no Microcosmo. Mercúrio ou Hermes, o Elo entre os mundos, o Mensageiro dos Deuses. Processa ou alquimiza as energias planetárias e relaciona hierarquicamente os opostos. Tudo isto está representado no seu símbolo, onde aparece todo o conjunto planetário reunido: Sol, Lua e a cruz alusiva ao grupo Planetário/Elemental. Também faz referência com isto às tríades dos alinhamentos. Mercúrio é o grande alquimista, aquele que transforma os metais, ou seja: os elementos - é a mente (as palavras "mente" e "metal" são parentes, enquanto que elemento contém o termo "mente"). É o intelecto, a comunicação, a razão, a dialética. É o fruto da planta. Polaridade neutra.

Número 6 – Representa fantasia, memória, família, imaginação, desejos, sexo, perfeição, beleza, harmonia, criatividade, irresponsabilidade. É trabalho, a profissão, a arte, a justiça. Bravo dá um boi para não entrar numa briga e uma boiada para não sair, e chamado de Adaptável. No biorritmo é “o bem-sucedido no trabalho”. Planeta Vênus: Representa o sentido estético, as artes, os sentimentos, a afetividade, a graça, o amor, os relacionamentos, beleza, equilíbrio, voluptuosidade, afeição. Símbolo tradicional do feminino, também rege também sobre o sacrifício e sacerdócio. São as folhas das plantas. Polaridade negativa.

Número 7 – Representa avareza, limite, alcance, regras, leis, controle, extravagante, especialista, transformação, intelectual, intuitivo, profeta, visionário, mistura de ateu com profeta, crê em tudo e não acredita em nada. É chamado de Místico. No biorritmo é O guia do humilde, o salvador do outro. Planetas Netuno e Plutão: Netuno - é o sentido místico, a devoção e a sutilidade. A imaterialidade e a dissolução das formas, a revelação, a mediunidade e o amor celeste. Traz percepções e supraconsciência, as drogas e os fenômenos psíquicos. Analogia com a Lua e Vênus. Polaridade negativa.  Plutão - é a renovação e a regeneração, o descobrimento do Eu, o despertar das energias latentes, a transmutação, explosões, buscas internas, iniciação, Yoga. Não é realmente um planeta, mas uma esfera de transição ou intermediária entre satélite e planeta. Analogia com Mercúrio e Marte. Polaridade positiva.

Número 8 – Representa inconsciente, destino, preguiça, satisfação, trabalho, melancólico, forte como um carvalho, suporta grandes tempestades. É o escravo fiel, aquele que enriquece o outro. Esteio e para-raios de todo mundo. É a força que vem de cima e dentro, é chamado de Poder.  No biorritmo é A Prosperidade e a maturidade.  Planeta Saturno: Significa senso de responsabilidade e autodisciplina, capacidade de concentração e de investigação, prudência, profundidade, provas e obstáculos. Restritivo e disciplinador é base de nossa autorrealização. É a raiz da planta. Polaridade negativa.

Número 9 - Representa o fim, acabamento, plenitude, realização, talentos, indecisão. É o ajudante de Deus, significa: tem sucesso em tudo que empreende e em todos os lugares por onde anda. É o protegido de Deus, o abençoado de Deus, é chamado de Bondade. No biorritmo ele é O distribuidor de saúde, amor, fortuna, sucesso profissional e a paz interior. Planeta Marte: Marte - É a atividade, o dinamismo, a individualidade, a sede de conquistas e a coragem. Vontade bruta, arrojo e energia. Símbolo tradicional do masculino rege também, a guerra (ideológica) e o heroísmo. São os galhos das plantas. Polaridade positiva.

 

Terapia com Mandalas

Na área terapêutica foi Jung quem trouxe as Mandalas para os consultórios, pintou sua primeira Mandala em 1916. Desde então costumava desenhá-las todas as manhãs. Seus primeiros desenhos eram somente desenhos circulares e ele não compreendia seus significados. Porém, dois anos depois observou que havia um padrão em suas Mandalas e caso estivesse em conflito desenhava uma Mandala alterada. Com o passar do tempo descobriu o efeito de cura que elas exerciam sobre ele mesmo. Após anos de pesquisa e aprofundamento no conhecimento do psiquismo humano, ele passou a utilizar a construção de mandalas como método psicoterapêutico. Seus estudos o levaram a defini-la como um círculo mágico que representa simbolicamente o Eu ou Self – arquétipo da Unidade Interior. Concluiu sua dupla eficácia terapêutica, conservar a ordem psíquica ou conservá-la. Neste último caso exerce uma função criadora, ou seja, um instrumento de auto cura.

Técnicas da Terapia

As técnicas podem ser meditativas e nesta prática observam-se as formas, símbolos e cores ou a técnica de criá-las. Seja qual delas optar concluirá que no centro da Mandala encontrará a expressão e os motivos do passado comum de todos os seres humanos e os símbolos da experiência pessoal e o lugar em que a força psíquica se move em direção à autorrealização ou totalidade.

Àquilo que conhecemos sobre nós mesmos chamamos de personalidade, no começo da vida, formada a partir da essência, que funciona como uma teia que sustenta a identidade individual. Nessa relação há um ritmo vitalício de separação e de união da personalidade - essência, governando a vida psíquica. Jung estimulava seus pacientes a dar asas a sua imaginação e criar mandalas de modo espontâneo, um veículo de autoconhecimento.

Uma técnica simples de meditação e ficar à frente de um espelho e se abraçar com muito carinho, dizendo o quanto se ama, após sorria para si, permita que o sorriso aflore de forma espontânea, desta forma elevará seu nível de endorfinas, humor produzido por substâncias químicas em seu cérebro. Sente-se, de preferência na posição de Yoga, expire ao ar por três vezes para expelir as energias estagnadas e inspire suavemente as energias cósmicas. De conhecimento das formas, símbolos e cores, busque a Mandala adequada.

 

As Cores das Mandalas

As cores influenciam psicologicamente os seres humanos de várias maneiras, e são mais ligadas à emoção do que propriamente à forma. Se várias figuras coloridas forem mostradas a um grupo de pessoas, essas pessoas vão lembrar mais das cores do que das formas dessas figuras.

Quando é escolhida uma cor para fazer a meditação  

é um elemento de estímulo imediato e, essa cor escolhida, provocará diversas reações que podem ser positivas ou negativas para o aspecto em questão. Desta forma, é extremamente importante conhecer o significado de cada cor e como interage entre os quatro planos de consciência ou expressão, Físico, Mental, Emocional, Intuitivo e Espiritual.

As cores dividem-se em três grupos:

Cor primária: é cada uma das três cores indecomponíveis que, misturadas em proporções variáveis, produzem todas as cores do espectro (vermelho, amarelo e o azul).

Cor secundária: As cores secundárias são formadas pela mistura de duas cores primárias as cores secundárias são: verde, roxo e laranja. O azul misturado com o amarelo origina o verde. O azul misturado com o vermelho origina o roxo, e o vermelho misturado com o amarelo origina a cor laranja.

Cor terciária: As cores terciárias resultam da mistura de uma cor primária com uma ou duas cores secundárias. São todas as outras cores, como o marrom que é a mistura de amarelo ou vermelho com preto.

Cor neutra: As cores neutras são usadas para complementar uma cor desejada, sendo que as cores neutras têm pouco reflexo. Entre as cores neutras podemos citar o branco, os tons cinza e marrons. O branco é luz isento de cor, o preto é a ausência de cor e os tons cinza é a mistura do branco com o preto

As cores também se dividem em quentes: o amarelo, o amarelo-alaranjado, o alaranjado, o vermelho e o vermelho-violeta (possuem os adjetivos: ensolarado, opaco, estimulante, denso, perto, pesado, seco) e, em frias: o amarelo-verde, o verde, o verde-azul, o azul, o azul-violeta e o violeta (possuem os adjetivos: sombrio, transparente, calmante, diluído, longe, leve, úmido).

Uma das características da visão é chamada de percepção e a percepção das cores só ocorre quando há luz. A luz é definida como sendo uma energia física que se propaga através de ondas eletromagnéticas composta pelas cores do arco-íris. Quando a luz incide em um objeto ela é refletida seletivamente. A luz refletida tem uma composição diferente da luz e essa diferença é a responsável pelo aparecimento de cores. Quando se diz que uma superfície é vermelha significa que ela absorve todos os demais comprimentos de onda e reflete só o vermelho. Quando um objeto é iluminado por luzes artificiais, a cor pode mudar porque o espectro (arco-íris) é diferente da "luz solar". Assim, as cores ditas "reais" são aquelas que o olho humano percebe normalmente, quando os objetos são iluminados pela luz solar.

 

 

Meditação na Cor Amarela

Plano Físico: Como o Sol, é a cor que mais irradia a alegria. É uma cor que anima, encoraja, gerando energia positiva. Efeitos orgânicos: Reequilibra o sistema nervoso e ativar processos mentais. Indicações: O amarelo age reforçando o sistema nervoso e os músculos, inclusive o coração, facilitando a circulação. Essa cor ajuda a estimular várias funções corporais, tais como as ações do fígado e o fluxo de bile, promove a secreção dos sucos gástricos e alivia a constipação e indigestão, estimulando o trânsito intestinal normal. Essa é uma cor excelente para o tratamento dos distúrbios inflamatórios das articulações e tecidos conjuntivos e pode aliviar a artrite, o reumatismo e a gota. Dissolve depósitos de cálcio dentro do organismo e, dessa forma, é eficaz para atenuar a rigidez e as dores articulares experimentadas durante o movimento. Ajuda os pacientes diabéticos a reduzir a dose diária da insulina pancreática. Iodo, fósforo, ouro e enxofre contêm a energia do amarelo. Contraindicações: A vibração negativa do amarelo pode ser extremamente destrutiva, envolve decepção, afastamento, comportamento controlador, discrição, maldade, comportamento vingativo e bajulação. Essa cor pode levar a uma negatividade extrema associada com depressão mental e pessimismo profundo

Plano Mental: Representa a inteligência, estimula atividade mental, incentivando a criatividade. É a cor do intelecto. Ideal para períodos de dificuldades pessoais. Essa cor traz consigo a esperança e o sentimento de que tudo correrá bem. Razão e lógica são seus atributos e deles se irradiam discriminação intelectual, discernimento e capacidade de decisão.

Plano Emocional: Ela tem uma atmosfera de resplendor, brilho, jovialidade e alegria.

Plano Intuitivo/Espiritual: Nos Corpos Sutis ajuda na cura de doenças psicossomáticas e para quebrar bloqueios emocionais.

 

 

Meditação na Cor Azul

Plano Físico: O azul é uma cor suave, que induz à calma, tranquilidade, paz e segurança. Favorece a criação e a manutenção de um ambiente calmo nas nossas casas ou locais de trabalho. Num sentido mais profundo, o azul é a cor da nossa identificação com o planeta, que visto do espaço é azul. Nas suas tonalidades mais escuras, o azul é relacionado com o infinito profundo e a eternidade, nos seus tons mais claros, ao êxtase místico. Efeitos orgânicos:

Redução suave da frequência cardíaca, diminuição do ritmo respiratório, redução da pressão sanguínea, inibidor de descargas de adrenalina, ligeiro efeito hipnótico no sistema nervoso central. Com a redução dos ritmos cardio circulatórios, respiratórios e nervosos, o organismo tem uma melhoria considerável no que se refere à energia. Indicações: Nos casos de stress, cansaço, convalescença, pressão alta, obesidade, taquicardia, palpitação, nervosismo, insônia, ira, irritabilidade, temperamento agressivo, ciúme, medo, insegurança, ansiedade, alcoolismo, convulsões, esgotamento nervoso, agitação psicomotora e neuroses. Contraindicações: O azul não possui contraindicações. Uma ligeira contraindicação em casos de medos muitos acentuados ou fobias.

Plano Mental: Favorece as atividades intelectuais e a meditação. É uma cor passiva, concêntrica, perceptiva, sensível e unificadora.

Plano Emocional: Induz a afeição, à ternura O azul estimula na personalidade a doçura, o equilíbrio, a sensatez e a ternura.

Plano Intuitivo/Espiritual: A contemplação do azul determina a profundidade, sentimento de comunhão no infinito, sensação de leveza e felicidade É a cor da compaixão, da paz de espírito, da ética, da integridade e da confiança. Quando existe aversão ao azul pode significar confusão e instabilidade mental, inquietação, ansiedade, inconstância, orgulho e rebeldia.

 

 

Meditação na Cor Vermelha

Plano Físico: é uma cor ativa, estimulante, reflete energias bastante poderosas e geradoras de vida. Favorece a força de vontade, a conquista, a vitória, a gloria e a capacidade de liderança. A sua contemplação estimula ação, luta, conquista, proporciona o magnetismo pessoal e força vital psíquica. Afeta o sistema circulatório, bem como aparelho reprodutor. Efeitos orgânicos: Aumenta a pulsação, a frequência cardíaca, a pressão arterial e o ritmo respiratório. Estimula a força vital, a atividade nervosa e glandular e favorece a contração da musculatura. Indicações:

Alterações cardiovasculares não congestivas, pressão baixa, insuficiência cardíaca, anemias, fraquezas nervosas, convalescenças, impotência sexual, frigidez, tristeza, depressão, melancolia, desinteresse pela vida e pelas coisas, excesso de práticas psíquicas (ioga, meditação, etc.), doenças musculares atróficas, paralisias musculares, preguiça e doenças debilitantes de uma maneira geral. Contraindicações: Ira, nervosismo, neurastenia, tensão emocional excessiva, pressão alta, excitação sexual, tensão pré-menstrual, paranoias, esquizofrenias com estados de agitação, fase maníaca da psicose maníaco-depressiva, cãibras musculares, doenças do fígado e da vesícula biliar, insônia e excitabilidade exagerada.

Plano Mental: eleva o nível da capacidade mental.

Plano Emocional: O vermelho manchado por diversos tons da mesma cor pode indicar sentimentos descontrolados como a agressividade, paixão, raiva, impulso sexual, precipitação.

Plano Intuitivo/Espiritual: Nos Corpos Sutis, fortalece a conexão com o Chacra Básico.

 

 

Meditação na Cor Laranja

Plano Físico: Por ser uma cor derivada do vermelho possui as mesmas características, porém de maneira mais leve. Efeitos orgânicos: Estimula o sangue e os processos circulatórios, respiratório e nervoso, energiza o corpo e ajuda nos processos de assimilação e distribuição. Indicações: Essa é a cor do cálcio, recomendável para gestantes e mães que desejam aumentar a produção de leite para a amamentação. Cabelos, unhas, ossos e dentes saudáveis são produzidos por essa cor, pode ser usado no tratamento dos distúrbios do baço e dos rins. Afeta as funções fisiológicas do estômago, pâncreas, bexiga e pulmões e trata úlceras e cálculos biliares. É particularmente eficaz para eliminar flatos e gazes do corpo, trazendo equilíbrio aos indivíduos que sofrem de cólicas intestinais e cólon preguiçoso. A constipação também pode ser tratada com sucesso pela cor laranja, estimula batimentos cardíacos mais fortes e é útil para o fígado, alcoolismo, no tratamento da bronquite, promovendo respirações rítmicas e profundas. Algumas das tonalidades mais suaves dessa cor podem ser usadas no tratamento da artrite e do reumatismo. Contraindicações: o efeito colateral da cor laranja pode incluir uma atitude autoritária ou esmagadora. Isso pode ser expresso como ostentação ou traço exibicionista. As vibrações negativas estão associadas com descontentamento, melancolia e tristeza e, suas formas extremas são refletidas por perda da vitalidade, abatimento e destruição. Não é adequada para pessoas facilmente irritáveis ou estressadas.

Plano Mental: Combate a depressão e estimula a criatividade mental.

Plano Emocional: Estimula a alegria, tolerância, criatividade, esperança, otimismo, disposição, prosperidade e espontaneidade.

Plano Intuitivo/Espiritual: Nos Corpos Sutis proporciona a espiritualização.

 

 

Meditação na Cor Lilás

Plano Físico: O violeta é uma resultante da mistura do vermelho com o azul, conservando as propriedades de ambos, embora seja uma cor distinta. O violeta tenta unificar a conquista impulsiva do vermelho com a entrega delicada do azul. É a cor da identificação com o lado misterioso da vida. Permite a sensação de fusão entre sujeito e o objeto, entre o indivíduo e o todo. Efeitos orgânicos: Atua em diversos órgãos, produzindo equilíbrio entre o sistema simpático e parassimpático. Indicações: Carência afetiva, autodestruição, crises de personalidade, materialismo excessivo, remorso e sentimento acentuado de culpa. Contraindicações: Mistificação, manias, psicose, vícios de drogas, alcoolismo, hipoglicemia, fanatismo e dispersão mental.

Plano Mental: É a cor da identificação com o lado misterioso da vida. Permite a sensação de fusão entre sujeito e o objeto, entre o indivíduo e o todo.

Plano emocional: É a cor das pessoas que têm insegurança emocional e certa instabilidade psíquica

Plano Intuitivo/Espiritual: É uma cor ligada ao encantamento, ao sonho, ao estado mágico da mente, aos desejos espirituais, ao deleite espiritual ou astral. O violeta é uma cor feminina, transmitindo mistério.

 

 

Meditação na Mandala cor Verde

Plano Físico: Verde é a cor da natureza por excelência.  Representa harmonia, crescimento, exuberância, fertilidade. Os tons verdes escuros podem refletir inveja, ciúme, dinheiro e doença física. Os verdes claros, educação, serenidade e paz. É a cor mais relaxante para o olho humano e pode ajudar a melhorar a visão. Efeitos Físicos: Esta cor é particularmente benéfica para o sistema nervoso simpático e é útil para a cura em geral, equilibrando e recuperando as células.   Indicações: Dissolve coágulos sanguíneos e elimina a estagnação e o endurecimento das células, ajuda na formação dos músculos, da pele e dos tecidos, elimina substâncias tóxicas e atua como um adstringente suave.

Atenua a tensão e pode reduzir a pressão sanguínea, produz um efeito sedativo e relaxante, embora possa causar sonolência, cansaço ou irritabilidade, se não for usado corretamente. Já que essa cor é capaz de influenciar a estrutura celular básica, pode ser usada para tratar tumores, cistos e proliferações. Ela é particularmente adequada para os problemas torácicos, como: asma, bronquite crônica e angina. O verde também é usado para tratar as condições inflamatórias do fígado, resfriados e dores de cabeça. Já que essa cor atua como uma força equilibrante, atenua o medo em situações traumáticas e é eficaz no tratamento do choque, ajuda as pessoas que sofrem de claustrofobia. Contraindicações: Avareza, indiferença e insegurança são algumas das expressões negativas da cor verde. Raciocínio precário, cautela excessiva e suspeita estão representados na natureza negativa dessa cor e, junto com a precocidade, podem indicar ciúmes, inveja, egoísmo e preconceito. Em seus níveis mais inferiores, o verde promove estagnação e por fim degeneração.

Plano Mental: Facilita o raciocínio correto, é a imagem da segurança e da proteção e cria um ambiente propício para tomar decisões.

Plano Emocional: Essa cor atenua as emoções, amplia a consciência e compreensão. Espaço, liberdade, harmonia e equilíbrio são aspectos que se originam do sentimento natural de justiça do verde.

Plano Intuitivo/Espiritual: Essa cor atua como um sinal para a renovação da vida e sua vibração mais elevada reflete o espírito de evolução. Nos Corpos Sutis, simboliza a transcendência.

 

 

Meditação na Mandala Dourada

Plano Físico: O Dourado ou cor ouro está simbolicamente associado ao ouro e à riqueza, a algo majestoso. Desperta novas esperanças no caso de resignação de doentes que desistiram da cura. Dá vivacidade, alegria, desprendimento, leveza. Produz desinibição, brilho, rejuvenesce, traz poder. Indicações: Diminui a ansiedade e as preocupações, fortalece os olhos e os ouvidos além de ajudar na cura da artrite, Doenças nervosas, inflamações dos nervos, mania de perseguição, efeitos terapêuticos sobre os ossos, reumatismo das juntas, lumbago, estabiliza troca de tecidos, fortalece o fígado, minora problemas de asma, falta de ar, alergias, olhos, brônquios e plexo solar. Tem a função de reconstituir tecidos lesionados principalmente quando se trata de tumores. Contraindicações: Seu excesso torna a pessoa irresponsável e volúvel.

Plano Mental: Desenvolve a criatividade, inteligência superior, energia, sabedoria e um ótimo raciocínio para resolver os questionamentos.

Plano Emocional: Estimula a alegria, o poder de persuasão e equilíbrio.

Plano Intuitivo/Espiritual: Representa a luz Solar, fortalece a espiritualidade, fortalece as influências dos poderes cósmicos. Os Corpos Sutis são lapidados para que se submetam aos maiores sacrifícios pelas causas que consideram justas.

 

 

Meditação na Cor Marrom

Plano Físico: representa estabilidade, necessidade de segurança, dependência, disciplina, uniformidade e desenvolve o sentido das responsabilidades. É a cor preferida por religiosos e caminhantes. Por isso é que se diz que realça a importância das raízes, do lar e do conjunto social. Gera organização e constância, especialmente nas responsabilidades do cotidiano.  Indicações: Nos casos de instabilidade, indisciplina, neurastenia, psicose maníaco-depressiva, atritos familiares e rebeldia infantil. Contraindicações: Autodisciplina excessiva, apego familiar exagerado, dependência afetiva, dependência psicológica à família ou ao grupo e ao isolamento.

Plano Mental: Induz à autoridade, organização, constância, confiança interior e autoafirmação.

Plano Emocional: emoções equilibradas e estáveis.

Plano Intuitivo/Espiritual: -

 

 

Meditação na Mandala Cor Prata

Plano Físico: Renovação, crescimento. Indicações: Adstringente e refrescante Contraindicações: Não deve ser usado por quem sofre de memória fraca.

Plano Mental: Neutraliza pensamentos negativos que obstruem a criatividade e o equilíbrio, encoraja a estabilidade.

Plano Emocional: Está associada às emoções, sensações, sentimentos, ao inconsciente.

Plano Intuitivo/Espiritual: Está associada à Lua, ao mundo espiritual, aos anjos, a intuição, mediunidade, influências cósmicas, purificação, vitórias.  Nos Corpos Sutis ajuda a desenvolver as habilidades psíquicas, na meditação noturna e na magia.

 

 

Meditação na Mandala Magenta

Plano Físico: a mais refinada e sutil dentre todas as cores, o magenta transmuda desejo em seus equivalentes físicos. Dedicação, reverência, gratidão e comprometimento são características atribuídas a essa cor, cujo empenho é expressar o idealismo em sua forma mais pura. Indicações: aumenta a irrigação sanguínea do cérebro e estimula o sistema nervoso simpático. Alivia dores de cabeça, resfriados, pressão alta e cansaço crônico ou esgotamento nervoso. Melhora a função do coração, inclusive distúrbios como sopros cardíacos e palpitações. A energia dessa cor é suave, calmante e protetora, ajuda a expandir as respirações, a energizar as glândulas suprarrenais e as regiões dos rins e também pode ser usada como diurético. Contraindicações: pode gerar a energia da superioridade, que tende a levar ao esnobismo, à arrogância e ao isolamento. Os aspectos negativos dessa cor podem resultar num comportamento fanático, monopolizador e autoritário. Falta de amor próprio, desprezo pelas necessidades alheias e a insegurança estão na faixa negativa do magenta. A auto-estima exacerbada pode resultar do uso indevido do conhecimento e poder intrínsecos a essa cor.

Plano Mental:  -

Plano Emocional: Atuar como estabilizador de distúrbios emocionais e é eficaz para casos em que houver comportamento violento ou agressivo.

Plano Intuitivo/Espiritual: A cor magenta é a última do espectro, trazendo consigo um grau elevado de compreensão e maturidade, em consequência da sua passagem por todas as outras cores. Habilidade administrativa é uma de suas características, junto com grande compaixão. O magenta é uma cor protetora e nutriente, quente e suave, cuja expressão mais elevada é o amor espiritual ou incondicional.

 

 

Meditação na Mandala Rosa

Plano Físico: É uma cor agradável e calmante. Indicações: Rosa Claro: ativa, acelera, elimina impurezas do sangue reduz tensões e agressões, harmoniza e ativa a glândula do Timos (Timo).  Contraindicações: nenhuma

Plano Mental: Desenvolve a sabedoria e conduz à autoridade e ao poder.

Plano Emocional: Atrai a felicidade e a simpatia, mas sua principal característica é a sedução, beleza, favorece a empatia e o companheirismo, o amor e a alegria, pureza e fidelidade.

Plano Intuitivo/Espiritual: É a cor do Amor Universal. Eleva as vibrações e o contato espiritual, afasta energias negativas e promove fraternidade

 

 

Meditação na Mandala Pink

Plano Físico: Indicações: Rosa Forte: desobstrui e cauteriza veias, vasos e artérias e elimina impurezas da corrente sanguínea, tônico para o coração, rins, circulação e órgãos sexuais. Contraindicações: nenhuma.

Plano Mental: -

Plano Emocional: Ativa a sexualidade.

Plano Intuitivo/Espiritual: Nos Corpos Sutis vibra a insegurança e a sensação de inadaptação.

 

 

Meditação na Mandala Cor Carmim

Plano Físico: Doenças difíceis de diagnosticar podem surgir devido à autoindulgência e maus hábitos cotidianos. Indicações: Os órgãos reprodutores. Contraindicações: Pessoas depressivas.

Plano Mental: Pensamentos oscilantes nas decisões, dificuldade de gerir.

Plano Emocional: Deslocado da realidade, grande dose de fantasia emocional.

Plano Intuitivo/Espiritual: Compaixão, solidariedade, fraternidade.

 

 

Meditação na Mandala Cor Índigo

Plano Físico: Combina um grande poder com uma grande aptidão prática, determinando profundas reformas em todos os níveis do ser. Indicações: Problemas nos órgãos da percepção - olhos, ouvidos, nariz, o coração é o grande ponto fraco. Contraindicações: pode levar à intolerância, separatismo, ilusões obsessivas e problemas de depressão.

Plano Mental: Dificuldade em ordenar pensamentos e desenvolver a criatividade.

Plano Emocional: Capacidade de compreensão, paciência inexplicável, carência afetiva, doação incondicional.

Plano Intuitivo/Espiritual: Representa a cor espiritual de meditação, é a cor da inércia. Nos Corpos Sutis equilibra o Karma, traz a paz e a tranquilidade.

 

 

Meditação na Mandala Cor Violeta

Plano Físico: É a cor da Alquimia e da Magia. Indicações: Calmante, purifica o sangue, elimina as toxinas e estimula a fabricação de leucócitos, indicado para tosse, pneumonia, dor ciática e asma, a insônia, tonifica a mente e o sistema nervoso. Purifica o sangue e promove a produção de leucócitos, mantém o balanço de potássio no corpo. Detém o crescimento de tumores.  Contraindicações: Pessoas nervosas, depressivas, fanáticas.

Plano Mental: Traz equilíbrio da consciência. Desenvolve o poder mental.

Plano Emocional: Calma, dignidade, auto-estima, autocontrole.

Plano Intuitivo/Espiritual: energia cósmica e da inspiração espiritual, ajuda encontrar novos caminhos na espiritualidade, induz ao renascimento, a transmutação interior.

 

 

Meditação na Mandala de Cor Branca

Plano Físico: É o conjunto interno de todas as cores e sempre que aparece é associado a uma delas, simboliza luz, bondade, inocência, pureza e virgindade.    Indicações: utilizada popularmente como coadjuvante do tratamento da hipertensão arterial e da prisão de ventre, sendo considerado, também, um ótimo diurético. Sua maior ação terapêutica se faz na doença divertículo do intestino.

Plano Mental: Clareza mental, imaginação, criatividade.

Plano Emocional: Ordem, simplicidade, otimismo, piedade, paz, pureza, inocência, dignidade, afirmação, modéstia, harmonia, reforça laços familiares.

Plano Intuitivo/Espiritual: O branco como cor de uma aura é a pureza, amor, caridade e todas as formas de transmitir algo de bom. Significa a abertura do espírito a uma maior criatividade, desperta a pureza e a luta pela paz

 

Meditação na Mandala de cor Cinza

Plano Físico: É o tom da incerteza. Desde a cor cinza claro, que indica temor, até o mais escuro, símbolo do Egoísmo, passando pelo intermediário, que pressagia temeridade, é uma cor extremamente enganadora. Indicações: Estados depressivos, stress. Contraindicações: Nos casos de distanciamento da realidade, nas esquizofrenias, no autismo, em casos de memória fraca e desorientação no tempo e no espaço.

Plano Mental: ajuda a melhorar os defeitos do caráter através da autoanálise e do autoconhecimento.

Plano Emocional: reduzir uma tendência psicológica ou emocional, tédio, tristeza, decadência, velhice, desânimo, seriedade, sabedoria, passado, finura, pena, aborrecimento.

Plano Intuitivo/Espiritual: procura do essencial no referente a capacidades extra sensitivas.

 

 

Meditação na Mandala Cor Preta

Plano Físico: A sua condição de total ausência de cores relaciona-a simbolicamente com a ideia do nada, do vazio. Por isso expressa à concepção abstrata do zero, da negação, do espaço infinito, do não ser, do não (o branco dá a ideia do sim). Preto e branco são tons extremos que estão ligados ao simbolismo cabalístico do Alfa e Ômega, do princípio e do fim.  Indicações: Atrai a energia de soluções rápidas financeiras e de posse de imóveis Contraindicações: Pessoas com depressão.

Plano Mental: Sabedoria, justiça, equilíbrio, introspecção.

Plano Emocional: Renúncia, pessimismo, tristeza, dor, temor, intriga

Plano Intuitivo/Espiritual: Nos Corpos Sutis abre profundos níveis do inconsciente.

 

Mandalas astrológicas

Os signos são separados em grupos de três para cada um dos quatro elementos. Cada signo tem um elemento astrológico, que indica as raízes da constituição da pessoa e a essência de sua personalidade

Signos de Fogo - Áries, Leão e Sagitário.

Representa a chama do espírito, o ânimo, entusiasmo, energia, vontade e paixão e ação. O prazer de viver, o impulso da superação e crescimento contínuo como seres humanos. Em excesso traz a agressividade, irritabilidade, arrogância, orgulho, a vaidade, que podem ser classificados como os pontos negativos dos signos de fogo.

Signos de Terra - Touro, Virgem e Capricórnio.

Representa a materialidade do impulso energético do fogo. Concretização, a praticidade, a substância sendo agregada ao primeiro impulso criativo, que gerará a forma. É o fogo sensificado formando as coisas, afixando-se e enraizando-se no planeta Terra. Em excesso traz teimosia, estagnação, lentidão, rigidez, crítica, ceticismo, crueldade e insensibilidade, pontos negativos dos signos de terra.

Signos de Ar - Gêmeos, Libra e Aquário.

Representa a mente, o intelecto, a respiração. O ar traz a razão, a comunicação, o entendimento. O corpo percebe que tem uma mente que capta informações entendendo o mundo à sua volta. O ar representa as idéias, a objetividade, o raciocínio, as trocas. Em excesso traz dispersão, superficialidade, frieza, indecisão, rebeldia, anarquismo, falsidade e mentira, pontos negativos dos signos de ar.

Signos de Água - Câncer, Escorpião e Peixe

Representa o sentir, a emoção. Não adianta entender com a mente e não sentir com o coração, as coisas ficam vazias de significado que só a água pode dar. É a compreensão que vai além do entendimento da mente. Aspectos mediúnicos, espirituais e sensitivos. Em excesso causa infantilidade, chantagem, caprichos, manipulação, infiltração, vulnerabilidade, inconstância e instabilidade, pontos negativos dos signos de água.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

GALERIA DE MANDALAS

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Translate to English Translate to Spanish Translate to French Translate to German Translate to Italian Translate to Russian Translate to Chinese Translate to Japanese
Ultimas Atualizações
Intuição  (22-07-2019)
Textos para reflexão  (22-07-2019)
Mandalaterapia  (22-07-2019)
Al-Khymia dos Cristais  (22-07-2019)
Microcosmo Místico  (21-07-2019)
O Homem e a Oração  (18-07-2019)
Autobiografia Espiritual  (18-07-2019)
Angelographya  (03-03-2019)
Referências  (25-02-2019)

Rating: 2.6/5 (813 votos)




ONLINE
1




Partilhe esta Página